Céu Azul

Esparrama um movimento plácido

Como se a carne, largada ainda pulsando,

Não tivesse sido devorada por si.

E fitando o olhar assassino, muito doce,

A presa, em agonia,

Na exuberância da sua morte em alegria,

Sabe que é o bem que mata.

Céu azul em travessia!

Poemas

Das Máscaras

A vela acesa diz que a luz apagou,

Mas a vela em chama não é uma luz acesa?

E por que haveria de importar o que sombreou,

Se toda a lógica se mantém no - existir - da clareza?

 

O que tu não vês na falta

Pode ser o ar,invisível, que necessitas para respirar.

É no teu olho que mora a felicidade alta

Todo resto é só a vida a se precipitar...

Fêmeo Selvagem

Sim! Eu amo como os infames!

A alma do amor eu devoro com meu afeto,

Destrincho, violo de modo simétrico,

Até que eu possa extasiar-me em gargalhada.

 

E ainda tenho a audácia de querer mais!

Meu movimento sutil, quase que delicado,

É milagre que sustenta meu corpo unificado,

Para que eu não me parta em explosões colossais.

 

Entregue... Sou consorte do perigo

Inteira... Sou um grito vertido

A um querer atemporal

 

Sim! Eu amo de modo tão violento,

Que à vida dou um suspiro lento,

E, simplesmente, deixo!

Ferroada

Quero que morras a cada instante!

Delicadeza tão dolorida...

Inflamação de flores vermelhas.

Quero, em cada passo dado, a incapacidade das pernas,

O atrito da mente sem compreensão,

Vagando no terror contente de não conseguir sair do lugar.

Quero que morras tão agigantadamente a miúde,

Que teu coração se estraçalhe dentro do peito,

Fazendo sentires meu amor como mil ferroadas na alma.

Carne

Pela carne o ser humano entrega a alma:

Vende a alma,

Aluga a alma,

Finge ter alma,

Ou,

Simplesmente e,

Mais absurdamente,

Ama.

Bolhas de Sabão

Fala,

Parece nada

E arranca tudo.

Entra,

Não pediu licença

E fica bem à vontade.

Mexe, remexe, vasculha,

Como se tudo fosse seu.

Senta dentro de mim.

Como criança no chão da sala,

Brinca!

E soltando risadas bem naturais,

Faz bolhas de sabão,

Do meu sangue.

  • w-facebook
  • Instagram - White Circle
  • Twitter Clean

© 2016 - Larissa Poeta de Mello

larissapoeta@gmail.com  Florianópolis - Santa Catarina - Brasil